20/12/2011

Alerta planetário: recuo do gelo do Oceano Ártico libera gases de efeito estufa mortais

A equipe de pesquisadores russos ficou estupefata depois de encontrar fontes de metano, em quantidade cem vezes maior que o já visto, borbulhando até a superfície.

     
Por Tradução de Celso Copstein Waldemar *

Quantidades inéditas e dramáticas de metano - um gás de efeito estufa 20 vezes mais potente que o dióxido de carbono - foram vistas borbulhando até a superfície do Oceano Ártico por cientistas que realizavam uma vistoria extensiva da região.

A escala e o volume da liberação de metano deixou estupefato o chefe da equipe russa de pesquisa que há vinte anos vistoria o solo oceânico da Plataforma continental Ártica da Sibéria, na costa norte do Leste da Rússia.

Em entrevista exclusiva a The Independent, Igor Semiletov, membro da Academia Russa de Ciências, disse que nunca havia testemunhado a escala e a força do metano liberado de debaixo do solo oceânico ártico.

“Anteriormente havíamos encontrado estruturas em forma de tocha como esta, borbulhando metano, mas elas possuíam apenas dezenas de metros de diâmetro. Esta é a primeira vez que encontramos estruturas de escoamento contínuas, impressionantes e poderosas, de mais de 1.000 metros de diâmetro. É impressionante”, disse o Dr. Semiletov. “Eu fiquei mais estupefato pela tremenda escala e alta densidade das plumas. Em uma área relativamente pequena encontramos mais de 100, mas numa área mais ampla deve haver milhares de plumas”.

Os cientistas estimam que há centenas de milhões de toneladas de gás metano presas por baixo do Permafrost, o subsolo congelado, que se estende do continente e mar adentro, localizado na relativamente rasa plataforma continental do mar Ártico no Leste da Sibéria.

Um dos maiores medos é que, com o desaparecimento do gelo marinho do Ártico no verão e a elevação rápida das temperaturas em toda a região, que já está derretendo o subsolo congelado da Sibéria continental, os bolsões de gás metano presos poderiam ser liberado de repente na atmosfera, levando a um rápido e severo aquecimento global .

A equipe do Dr. Semiletov publicou, em 2010, um estudo avaliando que as emissões de metano dessa região eram de aproximadamente de oito milhões de toneladas por ano, mas a expedição mais recente sugere que esse número subestima significativamente o fenômeno.

No final do verão setentrional de 2011 -inverno no hemisfério sul-, o navio de pesquisa russo “Acadêmico Lavrentiev” conduziu uma extensa vistoria de no mar na costa do leste da Sibéria. Os cientistas utilizaram quatro instrumentos altamente sensíveis, tanto sísmicos como acústicos, para monitorar as “fontes” ou plumas de bolhas de metano que sobem até a superfície do mar vindas de debaixo do solo oceânico.

“Numa área bem pequena, de menos de 25.900 km² (equivalente a uma área de 259 km x 100 km), contamos mais de 100 fontes, ou estruturas em forma de tocha, borbulhando pelas colunas de água e sendo injetadas diretamente na atmosfera a partir do subsolo oceânico”, disse o Dr. Semiletov. “Em 115 pontos estáticos, nós checamos e descobrimos campos de metano numa escala impressionante—creio que numa escala jamais vista antes. Algumas plumas eram de um quilômetro ou mais de largura e as emissões iam diretamente para a atmosfera. A concentração era cem vezes maior que a normal.”

O Dr. Semiletov divulgou suas descobertas pela primeira vez em Dezembro de 2011na semana passada, no encontro da União Americana de Geofísica, em San Francisco, E.U.A.
* Publicado no Jornal The Independent , de Londres, em 13 dezembro de 2011

16/12/2011

Crise: Como será o mundo em 2012? – Daniel Franklin


Mafalda de Avelar
16/12/11 10:20
Não desanime. O Mundo não vai acabar. Mas existirão momentos em que vai parecer que estamos à beira disso.


Quem o diz é Daniel Franklin, editor da edição “The World in 2012″ (O Mundo em 2012), com assinatura da revista britânica “The Economist”. Contactado pelo Outlook, Franklin afirma, em entrevista telefónica, que a grande surpresa do próximo ano terá palco na Europa. “Ainda estamos num nível de crise em que este é o assunto que terá maior impacto na economia do mundo”. Segundo Franklin a previsão desta edição não é a de que o Euro vai acabar até porque “acredito que a alternativa é tão desejada que, eventualmente, o Banco Central Europeu e os membros europeus farão o suficiente para manter tudo em ordem”. Porém, Franklin deixa escapar que o fim do euro “é uma possibilidade”, principalmente com base no último encontro europeu. Por um lado, “as acções do governos têm-se mostrado inadequadas para restaurar a confiança”. Por outro, “também existe a possibilidade de insatisfação perante as medidas de austeridade. Existem, ainda, “despedimentos”. De forma sumária refere que “um forte ajustamento irá produzir reacções contra os governos que serão difíceis de conter”.

De acordo com esta edição, este será um ano comandado pela crise económica que abala o mundo ocidental “graças à indecisão dos políticos em ambos os lados do Atlântico”.
Mas em termos macro as novidades não ficam por aqui.

De acordo com a mesma publicação existe uma realidade, no mínimo preocupante, neste cenário de crise internacional: os líderes mundiais estarão preocupados com a política interna. O que augura mal para a globalização. França, Estados Unidos, China, Rússia, 
Venezuela, México são apenas alguns dos países que irão a votos em 2012. Pior, escreve Franklin, “faz com que não existam grandes expectativas em relação a conferências internacionais tais como a que decorrerá no Rio (“Rio +20″). E por falar em Rio, o Brasil, 
juntamente com a Rússia, a Índia e a China continuarão a comandar o pelotão de crescimento do mundo, com taxas esperadas de crescimento de, respectivamente, 3,5%, 3,7%, 7,8% e 8,2%. 
Estes países emergentes “irão pela primeira vez comprar mais de metade das importações do mundo em 2012″ e a China ficará muito perto de ultrapassar a economia norte-americana na categoria de “maior importador mundial”, algo que deverá acontecer em 2014. Também por isso, esta edição tem uma secção dedicada à China.

Quem também merece destaque é o Brasil. De notar que é de leitura obrigatória o artigo que Dilma Rousseff escreveu para esta edição especial. Diz a Presidente do Brasil que o mundo deve adoptar o modelo brasileiro de crescimento, que passa pela intervenção do Estado na economia. “O mercado, só por si, não melhora a distribuição do rendimento. É necessária a acção dos governos”. Indo mais longe Dilma fala ainda na necessidade de reformar instituições internacionais tais como a ONU, o Banco Mundial e o FMI.

No mundo dos negócios, o grande destaque vai para o Facebook, que entrará em bolsa em 2012. Atenção, também, às infra-estruturas de pagamento móvel.
Em termos científicos, a guerra contra o cancro poderá ganhar, em 2012, importantes batalhas e o ser humano tornar-se-á mais frugal.
FONTE
Fim dos Tempos. Net

15/12/2011

Obama dirá sim a Lei Marcial? Projeto vai ao senado hoje.

Obama poderá assinar projeto que visa dar mais poderes a militares para detenção de qualquer pessoa sem motivo. 
Lei Marcial se aproxima?
MANHATTAN (CN) - A Casa Branca sinalizou que o presidente Barack Obama lançou sua ameaça de veto contra uma lei permitindo que os militares para deter indefinidamente cidadãos dos EUA sem julgamento, e deixar a prisão militar alguém que considera um terrorismo suspeito em qualquer lugar do mundo sem acusação ou julgamento.
Depois de passar a Câmara na quarta-feira à noite, o Ato de Autorização da Defesa Nacional de 2012 poderia vir para a mesa de Obama depois de uma votação no Senado hoje (quinta-feira), o aniversário de 220 da ratificação do Bill of Rights.

O projeto de lei escreve um cheque 662.000 milhões dólares americanos para o Departamento de Defesa.

Defensores das liberdades civis temem que a lei ameaee a proteção da 4 ª Emenda buscas e apreensões; garante Emenda 5 do devido processo legal; e disposições Emenda 6 para julgamento rápido.

"O presidente Obama fez uma escolha com conseqüências arrepiantes hoje, quando ele anunciou que não irá mais vetar a DDAA apesar da falta de mudança das disposições do projeto de lei que o tornam ainda mais difícil para fechar a prisão de Guantánamo e fazer a detenção militar indefinida sem julgamento um característica permanente do sistema jurídico dos EUA, "disse o Centro de Direitos Constitucionais, em uma declaração .

A American Civil Liberties Union advertiu Obama para mudar o curso para evitar seguir os passos de caça senador Joseph McCarthy é anti-comunista bruxa, em nome da luta contra o terrorismo.

"Se o presidente Obama assinar o projeto de lei, que irá danificar seu legado e sua reputação norte-americana para defender o Estado de Direito", disse Laura Murphy, diretor da ACLU 's escritório legislativo. "A última vez que o Congresso aprovou a legislação detenção por tempo indeterminado foi durante a era McCarthy e Presidente Truman teve a coragem de vetar esse projeto. Esperamos que o presidente irá considerar a visão de longo prazo da história antes de codificar a detenção indefinida sem acusações nem julgamento."
Manifestações contra a DDAA planejada para coincidir com o Dia da Declaração de Direitos foram agendadas em todo o país hoje, incluindo Houston, Nova York e Worcester, Massachusetts, onde Ocupar Wall Street filiados ativistas plano de uma "marcha fúnebre" à Constituição.
Defensores das liberdades civis estão particularmente preocupados com a linguagem ampla DDAA é alvo da Al-Qaeda membros, apoiantes ou "forças associadas", depois de a polícia de Londres cautioned local businesses about Occupy London in a "Terrorism/Extremism" memo, advertiu as empresas locais sobre Ocupar Londres, em um "Terrorismo / Extremismo" memorando, o jornal The Guardian.

" Em um comunicado , a Casa Branca disse que o DDAA conduziria a "do século 21" justiça, respeitando a "regra da lei ... o coração da força de nosso país."
"Esta legislação autoriza financiamento crítica para o pessoal militar no exterior, e sua passagem envia um sinal importante que o Congresso apoia os nossos esforços à medida que o fim da guerra no Iraque e Afeganistão para liderar a transição, assegurando que os nossos militares podem enfrentar os desafios do século 21", de acordo com o comunicado da Casa Branca.

Obama falou quarta-feira em uma cerimônia em Fort Bragg, Carolina do Norte, marcando o fim da Guerra do Iraque, embora as tropas permanecerão até 31 de dezembro.
O Washington Post estima que outros 16 mil contratados civis permanecerá no Iraque.
" Em uma audiência anterior, o senador Lindsay Graham alardeava que a DDAA irá transformar os EUA em um novo "campo de batalha interno."
O Senado, que aprovou o projeto de lei 93-7, em uma forma anterior, deverá passá-lo novamente hoje.
Fonte:
Courthouse News Service

14/12/2011

Lei da Palmada é aprovada na Câmara


A aprovação ocorreu na comissão criada especialmente para discutir o assunto

IG
foto
Foto: Beto Oliveira/Agência Câmara
Autora do novo texto da Lei da Palmada, deputada Teresa Surita (PMDB-RR)


Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira o projeto de lei que proíbe o uso de castigos corporais em crianças e adolescentes, popularmente conhecida como Lei da Palmada. A aprovação ocorreu na comissão criada especialmente para discutir o assunto, mas como tem caráter conclusivo, o projeto seguirá para a tramitação e votação no Senado, exceto se houver recurso para que seja apreciado pelo Plenário da Câmara.
Relatado pela deputada Teresa Surita (PMDB-RR), o projeto prevê que pais que maltratarem os filhos sejam encaminhados a programa oficial de proteção à família e a cursos de orientação, tratamento psicológico ou psiquiátrico, além de receberem advertência. A criança que sofrer a agressão deverá ser encaminhada a tratamento especializado.
Para aprovar a medida, a relatora concordou em alterar seu parecer e substituir a expressão "castigo corporal" por "castigo físico". Parlamentares da bancada evangélica impediram a votação do projeto nesta terça-feira por defenderem a substituição da expressão "castigo corporal" por "agressão física". O objetivo seria evitar a ideia de que a lei proibiria qualquer tipo de punição ou de limites a meninos e meninas.
A troca do termo por "agressão física" gerou críticas da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e de movimentos sociais que apoiavam o texto original, com "castigo corporal". Mas no fim da tarde de ontem, houve um acordo para que fosse incluída a expressão "castigo físico" em vez de "agressão física".
De acordo com a deputada Liliam Sá (PR-RJ), a bancada evangélica entendeu que a expressão “castigo corporal” interferia na educação dos filhos. “Então chegamos a um acordo e trouxemos para discussão. A bancada escolheu a expressão agressão física, mas isso descaracteriza o projeto, porque nem sempre um castigo físico que a criança sofre é uma agressão física", afirmou.
A presidente da comissão, deputada Erika Kokay (PT-DF), defendeu o texto original, argumentando que ele não fere a autoridade da família, como pensavam os evangélicos. “Não há na comissão qualquer tipo de dúvida ou qualquer polêmica acerca do sentido do conteúdo do projeto”, disse.
Crítica
A coordenadora do Projeto Proteger, na Bahia, Eleonora Ramos, criticou a proposta de mudança no texto original. “O movimento social não se interessa por um projeto que não muda nada. Com o termo agressão em vez de castigo, nós estamos repetindo o Código Penal e o Estatuto. A agressão a uma criança ou adulto já é proibida por lei”, salientou.
Teresa Surita ressaltou que as expressões são muito próximas, mas para atender a expectativa de algumas pessoas ela usou no substitutivo a expressão “castigo físico”. “Quando se fala castigo físico fica mais pedagógico”, disse.
Opiniões
Ao longo do ano, o Delas ouviu especialistas e mães para esclarecer o assunto. Embora o tapa na bunda seja prática comum, não é a única maneira de impor limites a uma criança. Por isso, a maioria dos psicólogos e pedagogos defende a punição dos pais que batem nos filhos.
Mas nem todos concordam. Para a terapeuta infantil Denise Dias, as crianças estão "precisando de tapa na bunda".
Já o psicólogo e terapeuta familiar Carlos Zuma acredita na validade do debate em torno da lei - mas nunca na validade da palmada. "Mesmo em último caso, a violência não é válida", defende.
Ouvimos também mães que usaram - ou não - as palmadas ao criar os filhos. Audrey de Almeida, 44, apanhou quando pequena e bateu no primogênito. Até que um dia se deu conta de que a técnica não surtia mais efeito. As três filhas seguintes receberam limites sem apanhar.
Márcia Muccini, 52, criou duas filhas sem erguer a mão. A firmeza e as punições eram diferentes: quando faziam algo errado, "dávamos um gelo nelas".
Sandra Panazzolo e Débora Rodrigues não acreditam que a única solução seja a palmada, mas empregaram o método com os filhos e não se arrependem. "Eu acabei usando as palmadas muitas vezes por ficar muito nervosa mesmo, por incompetência minha", conta Débora.
"Não sou a favor do espancamento de uma criança, mas uma palmadinha em um momento certo, no lugar certo – que é o bumbum – só ajuda para a educação delas", acredita Sandra.
Em meio à discussão no Brasil, um caso nos Estados Unidos ganhou projeção. A filha de um juiz postou um vídeo no Youtube em que aparece sendo espancada pelo pai. A notícia levou à reflexão: quando a "palmadinha" passa dos limites? Um pai de cabeça quente é capaz de enxergar esta linha?
Outros métodos para impor limites são conhecidos, como o castigo não-violento e a técnica defendida por Diane Levy, psicóloga e autora neozelandesa com 30 anos de prática em consultório. 

12/12/2011

LEI MARCIAL É APROVADA NOS EUA E PODERÁ INICIAR REVOLUÇÃO!!!


Aprovada prisão por tempo indeterminado, sem acusação formal e sem o devido processo legal – ainda aguarda sanção de Obama
O Congresso americano aprovou a Lei Nacional de Autorização de Defesa, que dá poder ao Governo Federal de usar as Forças Armadas contra a sua própria população, de prender por tempo indeterminado americanos em qualquer lugar no mundo, sem nenhuma acusação formal e sem o devido processo legal. Você chamaria isso de Lei Marcial?<iframe 


O Senado aprovou por 93 votos a 7! A Câmara fez algumas emendas e a lei passou. Americanos, vocês fizeram por merecer! Afinal, um típico cidadão americano não passa de uma criança gigante mimada, viciada em esportes, celebridades e entretenimento. Nada sabe sobre o mundo, tampouco sobre sua própria história, sobre o tesouro de liberdade da humanidade que foi conquistado a custo de muito sangue pelo povo americano e de inspiração divina por parte dos Pais Fundadores dos Estados Unidos em 1776, quando as 13 colônias uniram-se para declarar independência, dando início à Revolução Americana contra a Tirania da (ainda hoje!) psicopata e sanguinária Coroa Britânica.
A Lei de Defesa atenta violentamente contra a Constituição americana, contra a Carta de Direitos Civis dos Estados Unidos e contra uma lei chamada Posse Comitatus, que limita a atuação dos militares na esfera civil daquele país. Se esta lei for sancionada por Obama, militares e policiais estarão autorizados a prender por tempo indeterminado e sem nenhuma acusação formal qualquer cidadão americano.
Para aqueles que defendem a atuação de militares na esfera civil, deve-se lembrar que um militar é treinado para destruir coisas, invadir e defender territórios e matar pessoas. Militares não são treinados (e nem devem ser) para administrar conflitos, investigar crimes e perseguir bandidos.
Será que militares e policiais vão entrar nessa onda? De prisão sem acusação formal e por tempo indeterminado e prisão de pessoas que já foram declaradas inocentes? Seria a instituição de um Estado de exceção tirânico e absoluto.
Segundo Stewart Rhodes, da associação civil “Guardiões do Juramento” (Oathkeepers), se policiais e militares baixarem a cabeça, ignorarem a história de seu país e fizerem cumprir esta lei, justificando a existência dos Campos de Concentração FEMA que foram recentemente ativados, haverá uma revolução nos Estados Unidos.
Essa revolução provavelmente será seguida de guerra civil. E realmente isto seria inevitável, uma vez que os Estados Unidos têm a maior população armada do mundo e a cultura histórica, garantida em sua Carta de Direitos, de formar milícias armadas com o objetivo de deter um governo que venha a se tornar tirânico.
A esperança, caso esta lei seja sancionada, é de que haja um número suficiente de militares e policiaisDespertos para a realidade da Nova Ordem Mundial e da Agenda Globalista, e que tenham coragem de não obedecer uma lei inconstitucional e autoritária. Lembrem-se: se os Estados Unidos caírem, não haverá nada que tenha poder suficiente para impedir a instituição e a consolidação de um Governo Mundial Tirânico.
A LEI SERÁ ENCAMINHADA PARA SANÇÃO PRESIDENCIAL
Para entrar em vigor, esta lei deverá ser sancionada pelo presidente Barack Obama, o qual já ameaçou vetá-la. O ex-editor do Wall Street Journal, Paul Craig Roberts, acredita que Obama irá vetá-la porque ele já estaria fazendo uso desses poderes ilegais independentemente da aprovação do Congresso e porque uma eventual sanção colocaria os Estados Unidos numa posição de violação da Convenção de Genebra, uma vez que entre as implicações da detenção militar está o fato de que os detidos são considerados prisioneiros de guerra. Seja como for, com lei ou sem lei sancionada, os Estados Unidos já são um país veladamente totalitário.



Veja o vídeo com legendas em português em:
http://www.youtube.com/watch?v=u0ZoWSyXh-E&feature=player_embedded

Por André o’Zaca

09/12/2011

Marinha chinesa pronta para a guerra.


Marinha chinesa pronta para a guerra.  46096.jpegVizinhos da China estão preocupados com relatos da mídia citando o líder chinês Hu Jintao, que supostamente ordenou comando da Marinha PLA para "se prepararem para uma guerra." Segundo ele, nos próximos anos, a Marinha deve "completar a sua modernização, reunir todas as forças para se preparar para uma guerra e fortalecer a segurança nacional". Isto foi dito em uma reunião da liderança militar e política do país em 6 de dezembro. Para a China famosa por sua política sábia e prudente isto é, levemente colocado, muito estranho. No entanto, como apontado por especialistas estrangeiros, a declaração do líder da China foi reeditado por muitos jornais chineses. No entanto, existe a possibilidade de que os jornalistas cometeu um erro na tradução. Os analistas britânicos afirmam que a declaração do líder chinês pode ser traduzido do chinês tanto como "luta armada" ou "conflito militar", mas a essência não muda muito.
É significativo que, nos últimos anos ambições militaristas da China cada vez mais surpreso não só com os seus vizinhos a maioria dos quais tem por resolver disputas territoriais, mas os Estados Unidos também.
Este ano, a China iniciou seu programa para construir porta-aviões e está trabalhando ativamente para desenvolver novos mísseis anti-navio e modernizar sua Marinha. A declaração da liderança chinesa foi feita na véspera da cúpula anual da China e Estados Unidos, onde as partes discutiram uma solução para a disputa sobre as Spratly arquipélago no Mar da China Meridional.
Para a China crescendo a questão dos recursos é fundamental. No entanto, a abundância de concorrentes apoiados pelos Estados Unidos dificulta a execução das ambições chinesas para o arquipélago Spratly. As relações mais difíceis em relação com esta questão estão entre Pequim, Filipinas e Vietnã. Ambições chinesas alarmado Indonésia que começa a desenvolver um largo campo grande de gás nas proximidades das ilhas em disputa. Especialistas apontam que o desenvolvimento afeta a zona reivindicada pelos chineses. 
Os Estados Unidos, que está tentando construir um novo bloco de municípios que "conter o dragão chinês" está particularmente preocupado. Não é por acaso que, em novembro, o presidente Obama fez uma dramática expansão da presença militar dos EUA na Austrália, considerando-a uma importante base para a implantação posterior de tropas dirigidas contra a China.Em outras palavras, Pequim está mostrando abertamente os Estados Unidos que pretende abordar esta questão em seu favor. Anteriormente o lado chinês alegou que o arquipélago Spratly (impugnada, além de China, pelo Vietnã, Filipinas, Malásia, Brunei e Taiwan) é parte integrante da China. Este último é compreensível: primeiro, as rotas principais de transporte do Oceano Índico ao Pacífico executado através do Mar da China Meridional, ea segunda, de grandes reservas de petróleo e gás são prospectados na área.

08/12/2011

General Makarov: Rússia está sendo forçada a uma nova corrida armamentista por culpa da OTAN e seu escudo antimísseis


O chefe do general russo Nikolai Makarov pessoal general, 07 de dezembro de 2011
De hoje a Rússia : Chefe da Rússia do Estado Maior General diz que Moscou está sendo empurrado para uma nova corrida armamentista, embora tenha reiterado que ela não quer isso.
Em seu discurso na reunião anual com representantes militares estrangeiros, na quarta-feira, o general Nikolai Makarov observou que no último ano, NATO-Rússia em Lisboa, o presidente Dmitry Medvedev disse que a Rússia poderia tomar parte no sistema próprio da Europa de mísseis de defesa, mas essa sugestão foi rejeitada.Moscou, então, ofereceu outra opção - se os países da OTAN queria construir seu sistema de defesa própria, eles poderiam simplesmente assegurar que a Rússia está fora do seu raio efetivo eo raio eficaz de semelhante armas russas, então, permanecer dentro das fronteiras do país. O segundo plano foi também rejeitado, chefe militar da Rússia disse na reunião de Moscou.
"Estamos prontos para outras opções, mas ninguém está sugerindo nada. Não ouvimos nada, mas as declarações vazias que os sistemas de defesa antimísseis na Europa não são de nenhum perigo para a estratégica da Rússia forças nucleares ", sublinhou Makarov.
O general observou que um número de analistas de os EUA ea Europa têm demonstrado que os componentes existentes de defesa antimísseis europeu já estão afetando o potencial nuclear da Rússia. . . .
"Em vez de confiança, nós estamos começando a suspeita e desconfiança em troca. A Europa não vai beneficiar desta ", acrescentou.  
Da Voz da Rússia : Nikolai Makarov, disse que os elementos do sistema ABM dos EUA que estão sendo implantados na Europa já representam uma ameaça para o russo forças nucleares estratégicas.
A Rússia não precisa de uma corrida armamentista, mas está sendo empurrado para juntar-lo, disse Makarov.(Foto: AP )

06/12/2011

Japão: Alarme césio radioativo no leite em pó para bebês

TÓQUIO -. No entanto, outro aviso sobre a segurança alimentar no Japão, após o terremoto e tsunami de 11 de Março, que atingiu a usina nuclear em Fukushima Apesar das garantias do mês autoridades da população, têm preocupações são elevadas, recentemente, tem havido casos de radiação excessiva em legumes, chá, leite, mariscos e água. Hoje um novo caso de alimentos contaminados: de acordo com relatos iniciais, e 'césio radioativo foi encontrado em leite em pó na alimentação infantil. O que Fukushima é o pior acidente em uma potência nuclear depois de Chernobyl.

http://italian.irib.ir/notizie/scienza/item/100196-giappone-allarme-cesio-radioattivo-nel-latte-in-polvere-per-neonati

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Skull Belt Buckles